Ficha Técnica

Título: Eleanor & Park

Autor(a): Rainbow Rowell;

Gênero: Drama, Romance;

Editora: Novo Século;

Páginas: 328;

Ano: 2014;

Sinopse: Eleanor & Park - Eleanor é a nova garota na cidade, e ela nunca se sentiu mais sozinha. Todas as roupas estranhas, cabelo ruivo caótico, e uma vida familiar cheia de problemas, ela não poderia ficar mais de fora nem se tentasse. Então ela senta no ônibus ao lado de Park. Calmo, cuidadoso e - aos olhos de Eleanor - impossivelmente legal, Park acredita que ficar fora do caminho é o melhor jeito de sobreviver ao colegial. Devagar e instantaneamente, através das conversas tarde da noite e uma grande pilha de fitas, Eleanor e Park se apaixonam. Eles se apaixonam do jeito que sempre é a primeira vez, quando se tem 16 anos, e não há nada e tudo a perder. Ambientado no ano escolar de 1986, Eleanor & Park é engraçado, triste, chocante e verdadeiro, uma viagem nostálgica para quem nunca esqueceu seu primeiro amor.





Publicado em 2014, Eleanor & Park vai contar a história de amor desse casal que emprestam os nomes para o título do livro.

Acho que é mais do que óbvio que depois de A Culpa é das Estrelas, os romances que passaram a escrever possuem uma carga tão mais pesada, tão mais real. 

Aqueles enredos perfeitinhos, da garota linda, sem defeito algum, que é popular na escola e que conquista a todos virou algo tão clichê que não suportamos mais ler algo do tipo. 

De vez em quando aparecem livros que nos fazem ver numa nova óptica.
Posso dizer, sem sombra de dúvidas, que Eleanor & Park me tocou no coração. Este livro em particular é daqueles que nos fazem murmurar palavras desconexas, emitir muxoxos de pura fofura.

Porque Eleanor & Park é muito fofo, muito fofo mesmo. Apesar de todas as complicações de seus protagonistas – e parece, pelo meu ponto de vista, que isso só intensifica o enredo. Torna-o mais vívido, mais real. 

Porque a vida real é assim. É dura, é difícil, nos faz querer desistir em algumas horas. Estamos cercados de desafios, e todos os dias quando nos levantamos, temos que conviver com eles e saber como vencê-los.

Mas mudando um pouco do foco, porque eu não estou aqui para lhes passar uma lição de vida, Eleanor & Park já faz isso.

Eleanor é ruiva, gordinha, tem um vasto gosto musical, e faz parte de uma família nada normal. Complicada é pouco pra definir a vida da nossa protagonista.
Sua mãe parece alheia a todos os problemas que tem ao continuar com o padrasto horrível, Richie. O mesmo que lhe agride fisicamente, amedronta a todos os irmãos, o mesmo que parece nutrir algo hostil contra Eleanor. Só no final sabemos o porquê, e olha nem cheguei a me surpreender. Porque diante de tantos problemas e complicações, tudo passa a virar casualidade nessa história.

Park é coreano – um mestiço idiota, como diz Eleanor no começo da história, luta taekwondo e assim como Eleanor tem um vasto gosto musical. Tanto é que quando estão se conhecendo, eles dividem gibis, HQ’s e fitas cassetes das mais variadas bandas musicais.

O romance desses dois é o que mais me chamou a atenção. A aproximação deles é tão tímida, tão inocente, tão pura que você que está acostumado com aqueles romances “fáceis”, fica simplesmente encantado. 

Não vou mentir que tinha muitas expectativas pra este livro, mas comecei a lê-lo despretensiosamente. E vou confessar que antes de me envolver com o enredo, pensei até na possibilidade de no decorrer da história acabar não gostando do livro. Mas isso foi antes, antes me envolver e pegar o ritmo que a Rowell nos impõe.

Que livro leve e ao mesmo tempo tão pesado. É uma eterna gangorra.
Uma hora, estamos lá em cima juntos com Eleanor e Park e em outras situações estamos lá embaixo, com os pés fincados no chão, vendo, sentindo e presenciando toda a cruel realidade de nossas vidas.

Para um enredo tão real, claro que existem reviravoltas, conflitos, decisões que marcarão o destino dos dois protagonistas.

Deixo aqui o meu muito obrigado a Rainbow Rowell por escrever esta história tão linda. Por possuir um coração tão puro, que foi capaz de passar toda sua leveza através das palavras impressas neste livro.

E mais uma vez, obrigada por compartilhar com a gente, leitores, essa história encantadora. Obrigada por nos dá a oportunidade de entrar no mundo de Eleanor e Park e conhecê-los.

Não tenho o que reclamar da edição super fofinha da Novo Século.
A fita cassete desenhada atrás das orelhas do livro e os fones de ouvido deram mais sentido e um toque a mais de fofura.


Deixe um comentário