Ficha Técnica




Título: "Como eu era antes de você" (Me Before You, originalmente)
Escritor (a): Jojo Moyes
Editora: Intríseca
Gênero: Romance, Drama
Nº de Páginas: 320



Sinopse:


"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. 

Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais pra ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário."


Primeiramente, preciso contar sobre a minha primeira experiência com esse livro:

Eu estava em viagem com uma amiga e resolvi entrar em uma livraria. Como sempre, não possuía planos de comprar nada, mas quem é leitor ávido já sabe como essa história termina. O caso é que lá estava eu, andando entre as prateleiras, quando vi um livro rosinha e muito fofinho. Tcharam! Lá estava ele. Achei a sinopse legal, mas o que realmente me chamou foi a capa do livro: simplesmente uma perfeição. O design é uma coisa que dá vontade de ficar olhando o dia inteiro (pra quem o tem na estante) e tudo parece ter sido pensado nos mínimos detalhes, desde a fonte até as orelhas do livro. Porém, na época por não estar a fim de um romance dramático, resolvi trocá-lo por outro do qual nem me recordo mais.

A segunda vez que ouvi falar de Como eu era antes de você foi no segundo ano, durante um debate sobre a Eutanásia na aula de literatura. Ele foi um dos livros indicados pela professora para que lêssemos antes de abordar o assunto. Finalmente, um ano depois, uma amiga me emprestou após me passar milhares de recomendações.

Se um livro te persegue desse jeito, uma hora você tem que ceder, certo?

Certíssimo! Não me arrependo de um minuto sequer de sono que perdi ao lê-lo. O livro é apaixonante, a escrita é bem delicada e detalhada. A autora consegue construir a história delicadamente e, sem que percebamos, um sentimento nos enlaça aos personagens e nos faz querer devorá-lo até o fim.

Como a sinopse já disse, Lou consegue um emprego como cuidadora, mesmo sem ter tido nenhuma experiência na área antes. Ela se vê sem opções e com uma família que precisa urgentemente de ajuda nas despesas. Então, acaba como cuidadora de Will.

Mas, ao contrário do que pensava, Will não é um velho rabugento e seu emprego não seria um tédio completo. Bom, trata-se sim de um rabugento, mas um jovem rabugento, lindo, atraente e inteligente, mas que está preso a uma cadeira de rodas pelo resto da vida. Seu humor é a barreira invisível que o afasta de todos e é também um dos maiores obstáculos para Lou, que de início, o odeia. Porém, sendo uma das poucas pessoas que realmente o enfrentavam, sem tentar agradá-lo somente por causa de sua deficiência, a garota acaba se conectando a ele de uma forma que mais ninguém conseguira antes. E então ela descobre dos planos de Will para uma viagem até a Suíça, onde ele se internaria numa clínica especializada em suicídio assistido. Lou não se conforma com sua escolha e decide fazer de tudo para que seu amigo enxergue que, apesar de tudo, ainda haviam razões pelas quais valeriam a pena viver.

Ao contrário do que muitos pensam, a história não tem enfoque no fato de Will desejar a morte e todas as discussões que vêm com este tema. O romance que surge entre eles também não é o que mais chama atenção, mas sim o modo com que, mesmo sendo de mundos diferentes, Will e Lou mudam a vida um do outro. Ao terminar o livro, percebi que o que mais me tocou foi ver quão grande é a influência de um relacionamento no crescimento, nas escolhas e até mesmo no rumo da vida de alguém. Em minha visão, um título nunca descreveu tão bem um livro.



"Às vezes, Clark, você é a única coisa que me dá vontade de levantar da cama."



Acho que eu nunca li, ou pelo menos não me lembro de ter lido, um livro do qual gostasse de ambos os personagens principais. Sempre gostava mais de um que de outro, ou na maioria das vezes apenas odiava a protagonista. Como quase sempre acontece nos livros atuais, o "cara" é muito romantizado, trabalhado nos mínimos detalhes para ser amado pela maioria dos leitores. Já a protagonista (principalmente quando esta é também a narradora) é quem carrega o "fardo" de ser... humana.

Sim, quantas vezes odiamos os personagens por seus erros, mudanças de humor, pensamentos que não são convenientes com o que achamos que deve acontecer?

Bom, um dos pontos altos de Como eu era antes de você é que ambos os personagens são humanos. Will é lindo e inteligente, mas é também mal humorado, às vezes arrogante e egoísta. E temos a Lou, que varia de boa demais a ponto de ser idiota, e infantil demais a ponto de ser má (hello, Treena). Mas o ponto é que, em nenhum momento conseguimos odiá-los por seus feitos e escolhas e é essa a grande sacada da autora. Ela consegue fazer que compreendamos Lou e sua "vidinha" baseada no medo de sair da zona de conforto. Conseguimos compreender toda a dor e o sofrimento que levam Will a desejar um suicídio assistido. Enfim, ao término, a autora se encarrega de nos fazer aceitá-los como eles são e amá-los mesmo assim. Porque a vida é isso, amar as pessoas independente de seus defeitos e aceitar suas escolhas, mesmo que não estejamos de acordo com elas.

Não posso dizer que o fim me surpreendeu, mas também não me decepcionou nem um pouco. O livro foi gostoso de ser lido até a última página. A adaptação já vem aí com (os lindos da foto acima) Sam Claflin (Finnick Odair, Em Chamas) e Emilia Clarke (Daenerys Targaryen, Game of Thrones) nos papéis de Will e Lou, respectivamente. Acredito que a estreia esteja prevista para meados de 2016.

Por fim, deixo-lhes uma das passagens mais doloridas:



"Apenas viva bem. Apenas viva."



Avaliação: 
☆☆☆


2 Comentários

  1. Quer sofrer mais? Vai ler "A Última Carta de Amor" da mesma autora. Jojo Moyes pisa nos corações da gente. ç.ç
    E essa última frase aí fechando a crítica acaba com qualquer um! Já li este livro e é bem assim.. <3

    ResponderExcluir
  2. Não tenho absoluta certeza de que se a JoJo moyes irá ler este comentário, mas um dia ela poderia quem estiver lendo pode me ajudar se quiser e concordar comigo
    Sou uma pessoa bem crítica porém amooo livros principalmente romances contudo....
    Querida autora JoJo moyes,primeiramente eu gostaria de lhe dar os parabéns e agradacer por nos dar para ler essa obra tão linda,cativante e maravilhosa já mais li algum livro como esse que me apaixonasse tanto que me prendesse e me envolvesse com tamanha intensidade sem dúvidas posso dizer que foi um livro que marcou minha vida e que jamais irei esquece-lo,porém apesar de gostar muito de VC por da não somente a mim mas a muitas pessoas o lrazer de desfrutar dessa obra tão perfeita eu também te "detesto" pelo final que você criou para will e lou na minha opinião você poderia ter pesquisado mais pois acho que sim existe algo que possa ter feito para melhorar a situação de will e a escolha dele poderia não ser a que você decidiu que fosse,neste momento que acabei de ler esse livro e sem sombra de dúvidas um dos melhores que ja liporem estou completamente indignada arrasada totalmente destruída com esse final como nunca fiquei ante com qualquer livro e pode ter certeza eu já li muitos livros tristes porém esse e maravilhoso mas estou completamente indignada com esse final.
    Sinceramente de você tem a capacidade de escrever um livro tão perfeito assim poderia também escrever um final tão perfeito quanto o livro inteiro.
    Tenho certeza que não sou somente eu que pensa assim.
    Obrigado Thayna.
    Me ajudem pessoal a chegar esse comentário na JoJo moyes

    ResponderExcluir