Ficha Técnica


Título: O Resgate do Tigre (Tiger's Quest)
Autor (a): Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance, Fantasia e Aventura
Nº de Páginas: 432


Sinopse: 


"Kalsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas. Além de lutar contra macacos d'água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos.

Agora que ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca - dessa vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren -, a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey."


Olá, meus caros leitores. Olha eu de novo com A Maldição do Tigre? Sim, estou me empenhando nesta tarefa nada árdua e extremamente prazerosa de me deixar levar pela estória dos meus tigres mais uma vez. É gostoso, é doloroso, é tudo isso e muito mais. Mas vamos que vamos!

Primeiro tenho que dar um aviso: você que nunca leu nenhum livro da Saga do Tigre, pare por aqui e corra agora para a resenha do primeiro, clicando aqui. Esta resenha é da sequência, O Resgate, e contém muitos spoilers. 

Como eu disse, o Kishan, ou melhor, o tigre de ébano, ganha mais destaque nessa sequência. Dã, olha a capa (haha). Por falar nela, mais uma vez sambando na avenida. Difícil é escolher a preferida: essa ou a do primeiro livro, com o nosso querido Ren. Mas deixando isso de lado, desta vez temos Kelsey (uma Rabanete muito insegura) voltando ao Oregon após quebrar uma parte da maldição, o que resultou em seis horas como humanos para os nossos tigres. 

Como qualquer outro fã da saga, acredito eu, fiquei muito irritada com a Kelsey no fim do primeiro livro. Abandonar o Ren porque não se achava boa o bastante? Bom, mas não podemos censurá-la tanto. Todos temos inseguranças e como é dito, após perder os pais, Kelsey não foi mais capaz de estabelecer relações íntimas, se vendo em um impasse. Mas o que era pra ser uma fuga, acabou se tornando uma ótima jogada. É a partir daí que podemos ver o verdadeiro amor entre Kelsey e Ren florescer e evoluir, sem tanta pressão quanto no início, e um relacionamento normal (ou quase) ser construído. 





"- Então... você é meu novo vizinho - eu disse, por fim.
- Sim - ele suspirou suavemente. - Não consegui mais ficar longe de você.
- Eu não sabia que você estava tentando ficar longe.
- Foi o que você me pediu. Eu estava tentando respeitar seu desejo. Queria lhe dar tempo para pensar. Para clarear a mente. Para... ouvir seu coração.
- Ah. Então seus sentimentos não... mudaram?
- Meus sentimentos estão mais fortes do que nunca."



Contudo, nem tudo são flores, e o que acontece? O nosso vilão dá as caras. Sim, Lokesh estava à espreita durante todo esse tempo e chega já pondo terror em nossos mocinhos. Ele é, basicamente, uma mistura de Lorde Voldemort, Hannibal Lécter e alguns outros vilões menos conhecidos mas não menos horripilantes. Ren é capturado e Kelsey acaba sendo forçada a voltar para a Índia para decifrar mais uma parte da profecia de Durga e encarar uma nova missão, desta vez com ninguém menos que o tigre de ébano. Com a ajuda de Sr. Kadam (nosso salvador), eles têm de encontrar o Mestre do Oceano, que os guiará em sua nova busca.

A aventura desta vez é diferente, tanto no cenário (nada de Kappas) quanto na companhia. A ousadia de Kishan misturada com o sarcasmo de Kells nos dão ótimas cenas, um pouco mais descontraídas, mas não menos envolventes. Nem preciso dizer que rola um clima de romance entre eles, certo? 



"- [...] parece que as únicas garotas por quem me interesso... sempre pertencem a Ren."



E vou parando por aí, se não entrego spoilers demais. O que tenho a dizer é que o enredo continua original e fascinante quanto antes, sem deixar cair nenhum de seus pontos positivos, muito pelo contrário. Tudo fica cada vez mais surpreendente. A mitologia é o prato principal, como sempre. Diversas vezes me peguei desejando estudar tanto quanto Sr. Kadam (será que é possível? Hehe) sobre os mitos e a rica cultura indiana. O romance também continua ávido e as emoções rolam soltas. Se você se sentiu tocado com o fim do livro anterior, provavelmente cairá em migalhas com o fim deste. É envolvente, dramático e emocionante do início ao fim. Espero realmente que leiam, gostem e continue me acompanhando na próxima resenha (que você pode ler clicando aqui) sobre o terceiro livro da saga: A Viagem do Tigre. Beijinhos!



"Só quando cada tear houver silenciado
E a lançadeira deixar de deslizar,
Deus irá revelar a trama
E a cada um explicar o porquê
De os fios escuros serem necessários
Na hábil mão do tecelão
Tanto quanto os de ouro e prata
Para a trama que Ele planejou."



Avaliação: 

☆☆☆☆☆


Deixe um comentário