Ficha Técnica


Título: A Viagem do Tigre (Tiger's Voyage)
Autor (a): Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance, Fantasia e Aventura
Nº de Páginas: 494


Sinopse: 

"Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores.

Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia. No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos."


Demorou, mas chegou! Depois de meses me enrolando com outras sagas, e mais alguns meses afundando (literalmente) n'A Viagem do Tigre, voltei com as resenhas críticas da saga mais cheia de ação, romance, aventuras mitológicas e drama que eu já experimentei ler. Como de costume, para os desavisados: se você nunca leu a Saga do Tigre, dê meia volta e faça uma visitinha à resenha do primeiro livro clicando aqui.

O início desse terceiro volume é bastante doloroso, ao menos para mim que tenho a (chata) mania de me envolver emocionalmente com esses bebês, vulgarmente conhecidos como livros

Após um breve vislumbre do nosso vilão, Lokesh, e de sua ira ao descobrir estar em posse de uma versão falsa do amuleto, seguimos rapidamente para a rotina de Kelsey e seus dois príncipes/tigres amaldiçoados. Apesar de ter sido resgatado, o tigre branco está diferente: além do trauma que os horrores do cativeiro o causaram, Dhiren retorna sem memória alguma sobre Kelsey. Rapidamente percebemos que não se trata de uma amnésia comum, pois todos os momentos que passaram juntos, até os meses no Oregon, estão intactos em sua mente; a única coisa da qual ele não se recorda é da nossa Rabanete.

E nem é preciso dizer o quão isso afeta o relacionamento dos dois, certo? Afinal, após tanto tempo sofrendo com a distância e o medo pela vida de seu amado, ao reencontrá-lo Kelsey descobre que Ren simplesmente não sabe quem ela é. E, após os eventos do Pior Aniversário de Todos os Tempos no fim de O Resgate do Tigre, algumas de suas inseguranças voltam com força total.



"- Kelsey, o que mais você quer de mim?
- Quero o meu velho Ren de volta!
- Bom, não sei o que dizer. Talvez o velho Ren tenha desaparecido para sempre. E... este novo Ren não quer perder você."



Do outro lado, temos também um Kishan cada vez mais carinhoso, maduro e obstinado a conquistar a (ex?) namorada de seu irmão. E é em meio a esse rebuliço emocional que os três entram em uma nova busca, guiados pela Lady Bicho-da-Seda, com o objetivo de encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e quebrar a terceira parte da maldição. Mais uma vez a Collen Houck merece uma salva de palmas pela forma inteligente de conduzir o enredo. Ela conseguiu com maestria, ao nos apresentar o mito de Parvati e Shiva e também à história de vida da Lady Bicho-da-Seda, intercalar significados ocultos que remetem às vidas de Ren, Kishan e Kells. Alguns pequenos detalhes sobre futuros acontecimentos também são plantados aqui e ali, mas são coisas que, geralmente, apenas quem já leu a saga é capaz de perceber.



Com a água como o elemento da vez, temos uma significativa mudança de cenário: da grande mansão dos Rajaram saltamos para o Deschen, um enorme e luxuoso iate. Este foi um aspecto positivo de diversas formas pois, além de adquirirmos conhecimento sobre iates e técnicas de mergulho (falo muito sério quando digo isso), também tivemos a presença de alguns personagens inusitados, como o professor de mergulho, Wes, que nos proporcionou ótimos momentos de descontração, e a não tão adorável Randi, que proporcionou momentos... melhor deixar pra lá.

É nesse cenário aquático que descobrimos uma das maiores, talvez até a maior, fobias da Kells: tubarões. A garota simplesmente entra em pânico só de pensar no assunto, o que em alguns momentos dá muita raiva ou muita dó.

Para chegar ao Sétimo Pagode, onde o Colar se encontra, os três têm de enfrentar os Dragões dos Cinco Oceanos. Desta forma, ao mesmo tempo em que o trio é testado, assim como Kelsey e Kishan nas Casas em Shangri-lá, os dragões os conduzem ao seu objetivo final. A imagem acima é uma fan-art muito cute que encontrei na internet e que simboliza um dos momentos mais cheios de ação do livro, durante uma espécie de competição proposta pelo dragão verde.

Ao término da busca, ao qual não vou me delongar mais se não acabo soltando spoilers, uma série de acontecimentos abala e muda a trajetória traçada pelos nossos queridos personagens, nos deixando aflitos e ansiosos para o próximo e último volume, que se chama O Destino do Tigre. Seu coração também palpitou? Eu te entendo.

Enfim, A Viagem do Tigre não deixou a desejar, muito pelo contrário, apenas aumentou a minha necessidade de devorar o resto da história. Merece as cinco estrelinhas! Espero que tenha gostado da resenha e continuem me acompanhando nessa aventura perigosa e emocionante.





"Quero dar a ela o melhor de tudo.
Quero fazê-la feliz.
Quero me lembrar dela.
Quero tocar nela.
Quero amá-la"







AVALIAÇÃO




Deixe um comentário